SUA MENSAGEM

Bom Jesus da Lapa nas lentes de Pierre Verger

Pierre Edouard Léopold Verger (1902-1996), como consta em sua biografia passou algum tempo em Bom Jesus da Lapa, onde retratou a religiosidade do nosso povo.  Pierre Edouard, foi um fotógrafo, etnólogo, antropólogo e pesquisador francês que viveu grande parte da sua vida na cidade de Salvador. Ele realizou um trabalho fotográfico de grande importância, baseado no cotidiano e nas culturas populares dos cinco continentes. Além disto, produziu uma obra escrita de referência sobre as culturas afro-baiana e diaspórias  voltando seu olhar de pesquisador para os aspectos religiosos do candomblé e tornando-os seu principal foco de interesse. Veja mais aqui.



Em 1988, Verger transformou sua casa vermelha, na Ladeira da Vila América, em Salvador, em sede da fundação que leva o seu nome. Não é uma casa grande, é simples como era seu proprietário. Mas lá está abrigado todo o seu acervo: 62 mil negativos, grandes quantidades de livros, documentos e sua coleção de objetos afro-brasileiros. 

"O vendedor de água" com o morro ao fundo - Pierre Verger - http://www.schwarze-goetter-im-exil.de/eng/verger/bahia/img-24.html)

Como conta Gilberto Sá, Verger convidou amigos ilustres, entre eles o artista Carybé, o escritor Jorge Amado e a arquiteta Lina Bo Bardi, para integrarem o primeiro conselho da fundação. Agora, depois da morte de Verger, a fundação continua a divulgar e manter sua obra. 














"O carregador de água - Beira do rio 1950 - http://www.colecaopirellimasp.art.br/autores/33/obra/1145

"O motorista do pau-de-arara (http://www.schwarze-goetter-im-exil.de/eng/verger/bahia/img-21.html)



Com curadoria de Alex Baradel, um dos responsáveis pelo acervo fotográfico em poder da Fundação Pierre Verger, a exposição ocupa toda a Grande Sala do MAM. É formada pelos núcleos Manifestações Populares (Cavalo-Marinho, Carnaval dos Travestidos, Circo Nerino, Festa dos Navegantes e Frevo); História Social (Canudos e Peregrinos de Bom Jesus da Lapa); Mestre da Arte (Rodolfo Cavalcanti e Cuíca de Santo Amaro, Mestre Vitalino, Pancetti, Calazans Neto, Jenner Augusto); Vida Urbana; Cotidiano e Trabalho; e os Cultos Afro-Brasileiros, mostrando a abrangência do olhar de Verger. Para o catálogo, o curador convidou jornalistas, historiadores, escritores, antropólogos e artistas a analisarem cada um dos temas. No espaço expositivo ainda será exibido um filme sobre o trabalho do fotógrafo. 

Carrancas dos barcos
Pierre à beira do rio São Francisco

Fonte de pesquisa:
http://www.estadao.com.br
http://www.colecaopirellimasp.art.br
http://www.schwarze-goetter-im-exil.de


Contato com o Sarau Lapense
Email: irineumagalhaes@ymail.com
Facebook: https://www.facebook.com/irineu.magalhaes.1

Por Irineu Magalhães




0 comentários:

Postar um comentário