SUA MENSAGEM

Peça teatral "Tô mintino, Terta?"



Aconteceu ontem (27-04-2013) mais uma apresentação da companhia teatral o "GATA" *. O grupo ficou um bom tempo sem iluminar os palcos, mas agora ressurge com força total, para o bem da cultura.

A apresentação aconteceu no pátio do Colégio São José. A peça humorística apresentada homenageou um dos brasileiros mestre do riso: Chico Anysio, que faleceu ano passado. O personagem escolhido das diversas caras do humorista foi o de Pantaleão em "Tô mintino, Terta?".




Adenilton Senna (Tuta), diretor, organizador e protagonista fez o papel de Pantaleão. Edivaldo Boa Sorte (Diva) representou o Zé do Norte, Geni Carvalho representou Terta. A peça além de ter provocado gargalhadas, satirizou e criticou o Estado brasileiro. Pantaleão, criador de porcos,  é fiscalizado pela vigilância sanitária. Enquanto isso Zé do Norte, bom mentiroso, enche o saco de Pantaleão com suas mentiras cabeludas.

Por se tratar de um evento ao qual nosso povo não está acostumado, pela pouca divulgação
contrária aos pífios eventos com mega propaganda foi de encher  os olhos com o público presente. Particularmente fiquei surpreso, uma surpresa boa,  todos os lugares disponíveis foram ocupados.  O riso correu frouxo e por várias vezes em um ápice os atores foram aplaudidos.

O que se viu no palco foi dois velhos conhecidos dos brasileiros: o Estado algoz, com suas leis, impostos e multas,  do outro uma defesa natural do povo:  a sátira, capacidade incrível que o nosso povo tem brincar com as desgraças da vida. Essa, provocando o riso, aliviando a dor.

Num tempo em que as futilidades invade as casas deturpando as mentes, num tempo em que a bela arte parece se afogar no mar da feiura, da imbecilidade, é mais que importante que as pessoas comprometidas com a arte levante sua bandeira e mesmo de forma amadora o importante é fazer arte. Que tenha mais peças, precisamos de arte. Parabéns ao grupo teatral, parabéns às pessoas que compareceram.

Adenilton Senna, abertura dos trabalhos

Nando Mendonça, agradecimentos.
A peça
Zé do Norte (Edvaldo Boa Sorte
Pantaleão (Adenilton Senna)
Pedro Bó
Mulher de Zé do Norte
Terta (Geni Carvalho)
Os fiscais
Agradecimentos
Platéia
Público:  aproximadamente umas quinhentas pessoas

*Grupo Amaralina  de Teatro Amador

Imagens: Irineu Magalhães

Por Irineu Magalhães

0 comentários:

Postar um comentário