SUA MENSAGEM

Antônio Júnior, escritor lapense.



Antônio Júnior, poeta e escritor pernambucano, natural de Recife. Aos 12 anos de idade se mudou com sua família para Bom Jesus da Lapa. Aqui estudou, casou-se; fixando residência até idade adulta. Mora desde 2009  em Fortaleza-CE. Antes morou em várias cidades: Itabuna-BA, Posse-GO, Valença-BA, entre outras, mas sempre retornando à Lapa. Em Valença,  conheceu sua atual esposa; estão juntos  há 17 anos. 

                                 Antônio Júnior: Lançamento do livro - noite de autógrafos

Aos 13 anos Júnior  intensificou o contato com os livros: contos, crônicas, poesias, prendia-lhe a atenção. Teve contato com o teatro chegando a representar papéis e escreveu peças. O autor desde tenra idade já apresentava forte vocação para as artes.

Tem um estilo literário peculiar, de gêneros que vão do realismo fantástico, ficção ao  terror. Influenciado por grandes nomes da literatura mundial como:  Stephen King; H.P. Lovecraft, Edgar Allan Poe, além dos ficcionistas: Júlio Verne, Arthur C. Clark; Ray Bradbury, entre outros.

Conexões Nordestinas

O primeiro trabalho literário publicado, "Todo poeta é um anunciador do Homem"  foi um livro de poemas em conjunto com mais dois amigos. 

"Não há dúvida de que a Bahia é um celeiro de grandes poetas. Por isso mesmo nada me surpreende quando deparo-me diante de obras poéticas como esta. O livro: Junior/Poemas/Magno - Todo poeta é um anunciador do Homem (que tem um título exótico) entre outras novidades, ainda espalha para os seus leitores palavras em formas de confetes para anunciar a esperança de viver. Na opinião do cantor e compositor Zeca Bahia, a delicadeza das palavras de Junior, Fernando e Magno enche e vaza o rio São Francisco. Assim, as emoções das palavras, tantas vezes sinceras e sérias e outras nem tantas, agregam na arte literária desses poetas toda a beleza do poema. É comum, aos nossos poetas, o uso das palavras como armas contra as injustiças e a desigualdade social. Aqui, assim acontece!" [¹]

Logo após, participou de coletâneas de editoras como a Shogum e Crisalis. Recentemente Antônio Júnior  foi classificado no concurso Ficção Científica do Brasil (FCdoB), o livro se encontra à venda no site da editora.

O primeiro trabalho literário produzido totalmente pelo autor foi "Conexões Nordestinas", um romance que liga todos estados nordestino a vários personagens, mostrando assim a conectividade entre a região.

"Numa dessas leituras, descobri a lenda do Labatut", conta o autor. Imediatamente, ele lembrou de Pierre Labatut, militar francês que teve papel importante na guerra de independência do Brasil, na Bahia. "Ele chegou a passar pelo Ceará e, segundo os arquivos que pesquisei, era tido como uma pessoa muito má. Daí surgiu a lenda do Labatut, um ser mitológico que percorreria o sertão"[²].

O autor palestrando

Concluiu recentemente um segundo livro: "Cabra Macho não tem medo", iniciando pesquisas para o terceiro: "Cantigas em Fôlego Sustenido e Assombro Maior" (Título ainda não definido).

Contato com o autor:http://www.facebook.com/antonio.junior.1840070

Referências:


Por Irineu Magalhães

Um comentário:

  1. A GENIALIDADE DOS BAIANOS

    Crônica de Dário Teixeira Cotrim

    Encontrei um livro de poesias muito interessante: Junior/Poemas/Magno – Todo poeta é um anunciador do Homem. São três os seus autores: Antônio Estevam de Almeida Junior (Lembranças), Fernando Luiz de Oliveira Borges Junior (Um Rochedo Humano) e Magno Reis Gomes Cerqueira (Esperança de Viver). Todos eles naturais da mística cidade ribeirinha do Bom Jesus da Lapa, terra do santuário do Nosso Senhor Jesus Cristo. A publicação do referido livro é de 1986 e foi composta e impresso na Gráfica Bom Jesus (na Missão Redentorista da Bahia). Os autores, eu ainda não os conheço, mas tenho acompanhado, pelo livro, a suas genialidades na composição de seus poemas. Plagiando o prefaciador Hélio Rocha, possamos dizer que “a poesia de Antônio Junior é de temática versátil, mas tem um denominador comum: a evocação”. Por outro lado, “Fernando é o mais transcendental dos três” enquanto que o “Magno é a admirável busca do viver”.

    Não há dúvida de que a Bahia é um celeiro de grandes poetas. Por isso mesmo nada me surpreende quando deparo-me diante de obras poéticas como esta. O livro: Junior/Poemas/Magno – Todo poeta é um anunciador do Homem (que tem um título exótico) entre outras novidades, ainda espalha para os seus leitores palavras em formas de confetes para anunciar a esperança de viver. Na opinião do cantor e compositor Zeca Bahia, a delicadeza das palavras de Junior, Fernando e Magno enche e vaza o rio São Francisco. Assim, as emoções das palavras, tantas vezes sinceras e sérias e outras nem tantas, agregam na arte literária desses poetas toda a beleza do poema. É comum, aos nossos poetas, o uso das palavras como armas contra as injustiças e a desigualdade social. Aqui, assim acontece!

    O rio São Francisco, que teve o encantamento perfeito na escrita do acadêmico Teodoro Sampaio, é palco irrefutável da beleza natural que a poesia constrói na alma dos artistas. Coisas que só os leitores sabem! Além da literatura, podemos dizer que o rio São Francisco tem contribuído, e muito, na formação das artes plásticas e na criação das artes cênicas. Aliás, o rio já é a própria poesia em arte. Os poetas ribeirinhos Têm a sabedoria de explorar o que o rio tem de mais belo. Pois bem, outra não seria, senão, a intenção de Junior, Fernando e Magno, quando partiram para escrever Junior/Poemas/Magno – Todo poeta é um anunciador do Homem.

    Portanto, temos aqui o bom livro no corpo de um livro bom. Ele é pequeno e é simplesmente simples. Sem muitos recursos gráficos, todavia recheado de genialidades. Em cada poema um recado e em cada recado uma mensagem de amor e esperança. O livro Junior/Poemas/Magno – Todo poeta é um anunciador do Homem tem espaço especial na Biblioteca Pública Municipal “Antônio Teixeira de Carvalho”, de Montes Claros.

    Aos três autores de Junior/Poemas/Magno – Todo poeta é um anunciador do Homem, depois de mais de duas décadas que o livro foi lançado, os nossos agradecimentos pela obra literária que ainda desperta interesse aos leitores, semeando o amor e a esperança de viver nas entrelinhas de suas páginas. Viva a poesia! Viva os baianos da poesia!

    ResponderExcluir